terça-feira, maio 11, 2021

Andam a brincar connosco!

 

Um rol de perguntas e respostas infantis quando já toda a gente conhece a verdade, é assim que funcionam as comissões de inquérito na assembleia da república. Uma perca de tempo e um gasto desnecessário para os contribuintes. Aquilo serve apenas para constatar que o mal da república é de raiz.


O inquirido de ontem, espécie de Dona Branca do capitalismo popular, explicou aos deputados como é que se fazem grandes negócios à custa da falência dos bancos. O modus operandi faz lembrar a operação marquês pois também há um amigo que compra as dívidas com grande desconto, e depois de passarem pelos intermediários convenientes.


Outra das imagens de marca que fica da audição é a promiscuidade total entre o futebol e a banca não se percebendo a certa altura se estamos a falar do BES, do Novo Banco ou do Benfica! E por coincidência ou não os êxitos do clube encarnado, quatro campeonatos seguidos e não sei mais quê, correspondem ao período em que o Banco resvalou definitivamente!*


Saudações monárquicas


*Isto é curioso na medida em que a Promovalor e associadas estavam em grandes dificuldades financeiras e viram as suas dívidas reestruturadas mas o Benfica estava pujante! Até se anunciava ao mundo que estava dez anos à frente de todos!

segunda-feira, maio 10, 2021

Notícias da terceira república!

 

Não é preciso ir mais longe, ficamo-nos pela capa e pela contra capa do Correio da Manhã de hoje. Por cima dos crimes de asfixia e da desgraça podemos ver lado a lado duas notícias que definem a república! Numa delas temos Vieira, presidente do Benfica e da Promovalor, que é um dos grandes devedores do Novo Banco e cuja dívida os contribuintes portugueses estão a pagar. Do outro lado está Rui Pinto corajoso denunciante da promiscuidade entre o futebol e a banca e que está sentado no banco dos réus!


Em complemento e para sobremesa podemos ler na contra capa do mesmo CM que um neto de Mário Soares é um dos envolvidos no mais recente episódio de violência entre claques do futebol!


Saudações monárquicas


Nota básica: Vieira, se não tiver nenhuma doença súbita, será hoje ouvido na AR no âmbito da Comissão de Inquérito ao Novo Banco. Veremos entretanto se a filha do Mortágua será tão incisiva e inclemente como foi com Moniz da Maia!

quarta-feira, maio 05, 2021

Arriba Isabel!

 

Em monarquia é possível manter a identidade de um povo e a sua história secular! E também é possível derrotar as várias internacionais e os seus obedientes mandatários! Cujo objectivo último, como sabemos, é capturar o estado abatendo a monarquia.


Fica também provado que em monarquia os eleitores não têm medo de represálias, de perder o emprego, nem dependem de um falso bem estar! Porque sabem que para além dos partidos e dos governos existe alguém que os representa e zela pelo futuro da comunidade. Alguém que a história elegeu, um universo eleitoral imenso que vai dos antepassados aos que ainda não nasceram!


Em monarquia a direita pode ganhar as eleições, sem complexos nem sofismas. Isabel Diaz Ayuso provou isso ontem em Madrid!



Nota básica: - (O equívoco português)


Estas eleições na comunidade de Madrid, que o PP (centro direita) ganhou e a esquerda foi arrasada transportam-nos para o actual cenário lusitano onde, em teoria, poderia acontecer o mesmo. Há que notar no entanto que em Portugal não existe nenhum partido do centro direita! O CDS nunca quis ser e o PSD, tal como o seu nome indica, é um partido de centro esquerda. Esta é a nossa consabida e amada duplicidade, o mundo do 'nim', que é onde os nossos políticos se sentem bem!

Sendo assim não estou a ver como é que o PSD (cheio de gente que adora afirmar-se de esquerda!) vai representar a direita e vencer a esquerda!

Isto no dicionário político republicano pode fazer sentido, mas no meu não faz.



Saudações monárquicas


quarta-feira, abril 28, 2021

União soviética lusitana!

 

Não é preciso gastar muita prosa bastam alguns recortes dos jornais para ficarmos por dentro da história. Uma história digna das antigas repúblicas do leste da Europa. Verdadeiros paraísos da igualdade e da transparência!


O assunto são as 'imparidades' do Novo Banco, nome de código para os créditos abundantes que deram origem aos astronómicos calotes de um grupo restrito de grandes devedores. Calotes que os contribuintes já estão a pagar. Vieira e a sua Promovalor pertencem a esse grupo restrito, verdadeiros campeões nesta matéria!


Vejamos então os recortes para perceber o enredo: - 'Novo Banco reestrutura dívida'; 'Fundo de créditos que ficou com o património da Promovalor é gerido por vice do Benfica' (Nuno Gaioso); Vieira pede adiamento da audição no Inquérito ao Novo Banco – tem uma consulta marcada'; 'Nuno Gaioso (o dito gestor) antigo vice presidente do Benfica questionado na comissão de inquérito negou 'canal de influência' ou conflito de interesses'.


Acho que já chega! Por falar em Chega gostava de ouvir uma palavrinha de Ventura sobre esta vergonha. Também gostava de ouvir o Camilo Lourenço, um especialista na cor do dinheiro. O problema é quando o dinheiro é encarnado!


Saudações monárquicas





segunda-feira, abril 26, 2021

A liberdade deve ser...

 

Deve ser da cor do mar

E voar como a andorinha

Deve saber navegar

Não é tua nem é minha


Deve estar no pensamento

No lugar da poesia

Pode ser um sentimento

Não é quente nem é fria


Está sempre de sentinela

Não é direita nem torta

E se lhe fecham a porta

Abre logo uma janela


Toda a gente gosta dela

Ou então fingem gostar

Há quem a queira viver

Há quem a queira matar


Primavera anunciada

No teu sorriso gentil

É uma rosa perfumada

Numa roseira de abril


Vou cantá-la até ao fim

Não é flor nem animal

É uma coisa natural

Que nasce dentro de mim!


A liberdade o que é?!

A liberdade deve ser...

Eu só sei o que não é!

A liberdade tem que ser!

sábado, abril 24, 2021

A lembrança das datas!

 

Quando falamos de datas a primeira coisa que devemos saber é que elas têm dono. Se são muitos, se são poucos, se a generalidade da população se identifica com elas, isso é outra história. No caso de datas que celebram guerras civis, tenham elas cravos ou não, haverá sempre uma parte da população que não terá muita vontade de participar no desfile da 'vitória'. Isto parece-me lógico e acessível a qualquer inteligência.


Dando algum desconto posso excluir desta lógica aquelas datas longínquas que a memória de certo modo alterou ou dissolveu, apagando ao mesmo tempo a fotografia do dono original. É nesta perspectiva, por exemplo, que imagino dois franceses a desfilarem alegremente, ombro a ombro, nas cerimónias do dia nacional de França havendo a possibilidade real do tetra avô de um deles ter executado o tetra avô do outro! A falta de memória e a ignorância têm destas coisas.


Nada disto porém se aplica ao 25 de abril de 1974. Invocar amnésia ou desconhecimento não é possível relativamente a factos que ocorreram há pouco mais de quarenta anos! A verdade aqui é cristalina: - o 25 de abril foi um golpe militar de esquerda que levou ao poder o partido socialista. É ele o dono do regime desde essa data. Fugir disto é fugir aos factos. Querer desfilar com os donos do 25 de Abril não comungando dos valores socialistas é um absurdo e uma patetice. Querer recuperar* uma data irrecuperável é um erro. Irrecuperável porque por mais voltas que a gente dê, o 25 de Abril estará sempre associado às vítimas da descolonização (que ainda hoje nos pesam na consciência) e ao estado exíguo e dependente em que nos transformámos. Um protectorado sem futuro.


Quem quiser celebrar isto, faça favor.



Saudações monárquicas



* Alguns monárquicos também andam há tempos a tentar recuperar o cinco de Outubro associando-o à fundação de Portugal no século doze! É uma tarefa inglória. O cinco de Outubro terá sempre a ver com implantes e repúblicas postiças.

terça-feira, abril 20, 2021

A manifestação ignorada!

 

A direita saiu à rua desceu a rua do século cantou o hino frente ao tribunal constitucional e encheu depois o Rossio! Não é fácil juntar milhares de pessoas por uma causa de natureza política, transversal a toda a sociedade como é o direito de livre associação! Não é fácil em tempos de pandemia arriscar a saúde numa viagem para reivindicar apenas o direito de representação de uma parcela cada vez maior do eleitorado! Pois bem, o Chega conseguiu isso e fê-lo de forma natural, ordeira, pacífica!


A comunicação social subsidiada, e orquestrada, ignorou o acontecimento e quando não ignorou mentiu, falando em 'centenas' de manifestantes quando foram milhares! Entre cinco e seis mil pelo menos. De que têm medo afinal?! Da realidade?! Percebo. Ficou provado que as ruas já não pertencem à esquerda e pela simples razão de que não têm hoje uma causa, uma bandeira, que leve os portugueses a manifestarem-se a seu favor. E essa é a grande novidade do nosso tempo!



Saudações monárquicas