terça-feira, julho 27, 2021

A lusitana antiga liberdade...

 

'E vós ó bem nascida segurança da lusitana antiga liberdade...' é o verso que invoca a única liberdade possível! Nada disto tem a ver com o golpe militar de Abril de 1974. Nem era essa a intenção de Otelo e dos restantes protagonistas.


Numa interpretação benigna, pondo de lado os indícios de traição que o tempo um dia julgará, tratou-se apenas de mais um episódio republicano na sucessão de episódios a que o regime já nos habituou. É assim desde o implante. Portanto é só aguardar pelo próximo golpe, pelo próximo Otelo e pela próxima república. Palpita-me que acontecerá quando o dinheiro da união europeia acabar. Ou a própria união se desfizer.


Entretanto convinha que não se transformasse o vinho em água nem a água em vinho. A república é a mesma. Um regime postiço, um beco sem saída.


Nota:


E vós ó bem nascida segurança

Da lusitana antiga liberdade

E não menos certíssima esperança

Do aumento da pequena cristandade

(...)


Estes quatro versos dos Lusíadas são a nossa constituição histórica. Explicam a condição da liberdade – somos livres porque o nosso rei é livre – e explicam também a condição da nacionalidade – 'Por tu Graal!


quinta-feira, julho 22, 2021

O estado do peditório!

 

Se formos sinceros o debate sobre o estado da nação resumiu-se ao estado do peditório! E a partir daqui podemos compreender porque é que não há oposição a não ser para uma espécie de tiro ao alvo a alguns ministros como se a respectiva substituição mudasse a natureza das coisas! Continuaremos a ser pedintes, a depender de tudo e de todos seja para vacinas seja para bazucas.


Bazucas iguais a outras que já recebemos e que apenas prolongarão a crise, o subdesenvolvimento e a ausência de reformas. No fundo, um presente envenenado para todos, um balão de oxigénio para os donos da república.


A alternativa ao peditório é deixar de ser pedinte. E por muito que nos custe pensar nisso o caminho passa pela contestação a uma união europeia cada vez mais asfixiante e cada vez mais parecida com a antiga união soviética. E então um dia vamos perceber as verdadeiras razões do Brexit.


Saudações monárquicas


quarta-feira, julho 21, 2021

Um pequeno passo para a transparência!

 

O plenário confirmou ontem, terça-feira, o que já tinha sido aprovado pela Comissão de Transparência e Estatuto dos Deputados na semana passada, com base numa proposta de alteração do PSD a um projecto de lei do PAN.

A iniciativa determinou que os titulares de 'cargos políticos e altos cargos públicos' tenham de declarar a 'filiação, participação ou desempenho de quaisquer funções em quaisquer entidades de natureza associativa', como por exemplo a Maçonaria, Opus Dei ou Clubes. Ressalvam-se os dados constitucionalmente protegidos, como seja os relativos à saúde, à orientação sexual, filiação sindical ou convicções religiosas ou políticas, casos em que tal menção é facultativa.

O diploma entra em vigor cinco dias após a sua publicação e aplica-se aos titulares que 'iniciem, renovem, ou terminem funções'.

Na votação final votaram a favor PSD, BE, PCP, CDS, PAN, PEV e Chega; e votaram contra PS, Iniciativa Liberal e a deputada não inscrita Cristina Rodrigues. 

Nota do autor: Para sermos claros esta lei embora represente um pequeno passo na direcção certa não esconde a vergonha e o escândalo em que temos vivido! Com efeito se já é uma vergonha tolerar a existência entre nós de associações secretas, maior escândalo ainda é aceitar a possibilidade que  alguém proveniente dessas associações possa representar o estado ou julgar as pessoas! Isto diz tudo sobre o país que somos.

Saudações monárquicas

sábado, julho 17, 2021

'Querem roubar-nos o Benfica'!

 

Esta frase de Matamouros o jovem advogado que interpôs há tempos uma acção contra a direcção de Luís Filipe Vieira é de momento aquilo que mais me preocupa como contribuinte mas sobretudo como português. Uma frase que admito poderia ser proferida em circunstâncias análogas por alguém do Sporting ou mesmo do FC Porto e que teria para mim a mesma gravidade.


Digo isto porque o que parece preocupar a maior parte das pessoas não são os alegados crimes em que Vieira terá participado em benefício próprio ou do Benfica, mas sim a possibilidade de entrada de um investidor americano no capital da SAD! Uma entrada normal, legal, resultante da compra e venda de acções entre privados. E a minha preocupação aumenta quando li algures que o ministério público terá acelerado a detenção de Vieira para evitar aquele negócio!


Pois bem, e aqui vou ter que dar razão ao dvogado de Vieira – 'o negócio pode ter sido mal feito, mas o negócio em si é lícito'. Se antes houve informação privilegiada que levou ao negócio, isso é outra coisa, é um crime que terá de ser punido depois de comprovado.


Portanto o que fica no ar é que o ministério público acha que o Benfica é como a TAP um clube de bandeira, que não pode ser vendido a estrangeiros. Outra hipótese, provávelmente mais próxima de Matamouros e da realidade, resume-se à seguinte questão: - quem sempre viveu dos investimentos do estado não precisa de investidores privados.


Daí esta luta surda (e absurda) que se desenrola perante os nossos olhos entre a concepção soviética do futebol onde o clube quer manter a maioria na SAD mas ao mesmo tempo precisa do dinheiro do americano; e a concepção também absurda do Vieira que (às escondidas) e com métodos napolitanos quer seguir o modelo do Bayern de Munique! Uma impossibilidade lusitana porque o Bayern é um clube de futebol profissional, e só de futebol, que actua na Alemanha dentro de regras transparentes e iguais para todos.


E termino com uma previsão: - à semelhança do que aconteceu com o Sporting que destituiu Bruno de Carvalho mas aproveitou tudo aquilo que ele fez; no Benfica vão aproveitar a obra do Vieira e não tarda muito vamos ver o americano John Textor a beber umas cervejas na catedral das imparidades.




quinta-feira, julho 15, 2021

A transparência que a maçonaria quer!

 

Foi ontem aprovada na Comissão de Transparência e Estatuto dos Deputados a proposta do PSD que estabelece que os titulares de cargos públicos devem declarar as associações a que pertencem. A proposta, que teve o voto favorável de todos os partidos com excepção do PS, irá subir ao plenário da AR e depois veremos se consegue passar!


Tem sido um processo difícil e moroso por um lado para não ferir direitos constitucionalmente protegidos como a liberdade de associação, de religião e de culto, mas sobretudo por contar com a forte oposição da Maçonaria que vê na proposta um ataque à própria maçonaria e à privacidade dos cidadãos, numa argumentação velha e relha e já de todos conhecida.


Como se fosse natural a existência de sociedades secretas numa sociedade livre, como se fosse natural que em nome da privacidade possam escapar ao escrutínio dos portugueses no caso de se candidatarem a altos cargos públicos! Cargos onde podem surgir conflitos de interesses nomeadamente entre o serviço público e a obediência à respectiva maçonaria!*


Quanto à posição do partido socialista nada melhor que citar Rui Rio: - “O PSD propõe que os políticos tenham de declarar todas as organizações a que pertencem! A Maçonaria opõe-se com vigor e o PS obedece-lhe votando contra a nossa proposta. Tudo isto demonstra bem a degradação do regime e a aposta do PS na falta de transparência”.


Saudações monárquicas


*Em desespero de causa a maçonaria tenta comparar-se com as excepções que a proposta prevê para o caso de filiações de índole religiosa. Mas logo recua e baralha-se porque nunca vai admitir aquilo que na realidade é. Uma ordem militar religiosa... secreta.



terça-feira, julho 13, 2021

Um advogado espertalhão!

 

O advogado do Vieira deu ontem espectáculo na TVI assegurando que até agora não vislumbrou qualquer crime nos factos que constam do despacho de acusação! E com uma autorização especial da Ordem dos Advogados para se pronunciar sobre o processo, foi fazendo o seu número, não se coibindo de criticar o procurador do ministério público que conduz a investigação (Rosário Teixeira) esquecendo-se do conflito de interesses que ele próprio representava. Um conflito que o pivot de serviço não foi capaz (ou não quis) questionar!


Com efeito Magalhães e Silva faz parte do Conselho Superior do Ministério Público, o órgão disciplinar e de avaliação de desempenho dos procuradores do ministério público. Um cargo destes deveria ser incompatível com o exercício simultâneo da advocacia pelo menos em processos tão sensíveis como este, em que uma das partes, quer queiramos quer não, são os contribuintes portugueses.


Mas o nosso conceituado penalista não dá importância a ninharias e desfiou a velha teoria da normalidade. Uma teoria muito usada pelos defensores de Sócrates. O esquema é isolar os factos, desligá-los do contexto e por fim considerar tudo normal! No caso de Sócrates era normal um primeiro ministro viver de amigos, ter uma casa em Paris, e receber envelopes com dinheiro vivo. No caso do Vieira, é normal ninguém saber ao certo qual é a estrutura accionista da SAD a que preside, assim como também deve ser normal ter toupeiras nos bancos que o ajudem a recomprar a própria dívida e com desconto para amigos! Tudo menos transparente, iludindo a lei e prejudicando os contribuintes!

Em resumo, tudo normal na república do avental!



Saudações monárquicas


Post scriptum:

Para concluir a apreciação a este advogado que conhecemos da TV desde os tempos da Casa Pia, li hoje esta pérola em roda pé numa das televisões subsidiadas: -'Se isto fosse com o Pinto da Costa já aqui estavam as claques'. 

Comentário: Em primeiro lugar o Benfica segundo Luís Filipe Vieira não tem claques. Em segundo lugar e para além de um certo desespero parece-me, posso estar enganado, que o advogado Magalhães e Silva estava a apelar à justiça popular?! Mas repito, devo estar enganado.  






segunda-feira, julho 12, 2021

Onde é que anda a direita?!

 

Com o país a saque e quando a trama da corrupção começa finalmente a denunciar-se, a direita é mais uma vez lenta a reagir. E deixa o palco todo à Catarina do Bloco, um palco onde até a Ana Gomes recupera fôlego à conta do Rui Pinto. E se este era um momento ideal para liquidar o governo do Costa mais a sua geringonça!...


Com efeito a nomeação de Vítor Fernandes para o Banco do Fomento é aquilo a que se pode chamar o assalto final aos cofres do estado! E já nem é necessário medir as palavras uma vez que uma das medidas de coacção impostas a Vieira pelo juiz é precisamente a proibição de qualquer contacto com o futuro gestor da bazuca! E se isto não chega para incriminar Vítor Fernandes, anda lá perto!


Mas a direita pode ir mais longe e mais fundo. Quem garantiu a idoneidade bancária do Fernandes foi o Banco de Portugal do Centeno e quem nomeou o Fernandes com base naquela 'idoneidade' foi o governo do Costa. Mais do que isto sabemos todos que este Vítor Fernandes (agora indiciado como ajudante do Vieira no Novo Banco) já tinha um curriculum invejável em matéria de assaltos a bancos nos tempos de Sócrates!


Então o que é que falta para a direita agir em conformidade?! Estão mais preocupados com o futuro do Benfica?! Ou será que essa direita adulta e consistente ainda não tem representação em Portugal?!


Saudações monárquicas