segunda-feira, outubro 15, 2018

Regimento de Infantaria 11 - almoço anual - agradecimento!



Saudades do 'Onze'
Alma de soldado
Palavras de bronze
À beira do Sado

Está tudo caiado
Tem quartos de hotel
Rancho melhorado
Mas foi-se o quartel

A porta sem armas
Perdeu-se o paiol
E os teus 'amarelos'
Já não brilham ao sol!

Ficou do que havia
A marcar o ponto
Toda a nostalgia
Deste breve encontro!


João Menezes, em 13 de Outubro 2018




sexta-feira, outubro 12, 2018

A nova procuradora e a velha dúvida...


Há uma lei de ferro sobre a teoria das conspirações, elas são directamente proporcionais ao grau de suspeição existente em determinada sociedade em determinada altura. Suspeição que envolve evidentemente o regime e os seus diferentes poderes. Em Inglaterra, por exemplo, as teorias da conspiração não medram porque os ingleses de uma maneira geral confiam quer no sistema político quer no sistema judicial em vigor. Lá não existe preocupação quando um procurador ou juiz é substituído por outro e descendo ao terreno do futebol, os árbitros para os ingleses não são motivo de conversa permanente ou desconfiança sistemática. Exactamente o contrário do que se passa em Portugal onde desconfiamos de tudo e de todos. Esta diferença comportamental não se explica por si própria tem de haver uma causa, para além das naturais diferenças culturais entre os dois povos. Citei a Inglaterra mas podia ter dado o exemplo da Dinamarca ou do Japão. Pois bem a conclusão que quero retirar já a conhecem os leitores e por isso fico-me por aqui.

Mais tarde, noutro postal, talvez possa desenvolver a minha teoria da conspiração sobre as vantagens da nova procuradora quer para António Costa quer para Marcelo. E já agora as desvantagens para Sócrates apesar do brinde à substituição. Deixo aqui os tópicos do guião: - a senhora Gago, obrigada pela opinião pública a seguir os passos de Joana Marques Vidal, não vai ter outro remédio senão remover Sócrates da cena política. No fundo o grande objectivo de Costa, do partido socialista, e do regime republicano representado por Marcelo. E desta vez ninguém pode reclamar falta de isenção. A mesma teoria estende-se à caricata substituição do juiz Carlos Alexandre por Ivo Rosa. Este também tem pouca margem de manobra face àquilo que já é do conhecimento público. E não vai haver a vingança de Sócrates. Que podia dar outra teoria e outro filme. Algum suspense também faz parte.


Saudações monárquicas

terça-feira, outubro 09, 2018

Ela sim!

Contra os corruptos d'aquém e d'além mar, contra as quadrilhas instaladas no poder, descrente dos homens providenciais, apresentem-se eles pela direita ou pela esquerda, só a monarquia poderá trazer paz e prosperidade ao Brasil! O resto são cantigas de quem vê o 'tacho' a fugir.

Quer isto dizer que não percebo o voto dos brasileiros?! Claro que percebo. Desiludidos com as promessas da esquerda, com o fantasma venezuelano no horizonte, os brasileiros não têm outra opção que não seja escolher alguém que, para já, não faz parte do jogo viciado. E esse alguém é Jair Bolsonaro.

Naturalmente que é fácil perspectivar que no futuro o mais provável é que o regime acabe por contaminar também o Partido Social Liberal. Essa é a lógica do regime republicano. Desde sempre e em toda a parte. Mas as Cassandras disso não falam. E não falam porque se falassem teriam que admitir que há outra solução para além da república. Uma solução que ao mesmo tempo que preserva a vontade da maioria, impede que as minorias organizadas (lobbies, gangs, quadrilhas, etc) assaltem o poder. Essa solução chama-se monarquia. Um seguro de vida para a democracia. Pena que não faça parte da ementa quer no Brasil quer em Portugal.*


Saudações monárquicas

*Verdade seja dita que os brasileiros tiveram a oportunidade de mudar de regime no referendo realizado em 1993. Preferiram manter a república e por isso podemos dizer que têm aquilo que escolheram... ou aquilo que merecem. Mas os portugueses nem essa oportunidade tiveram.

sexta-feira, outubro 05, 2018

A reputação da república!




No dia em que se celebra mais um aniversário do regime as notícias são as seguintes:

Ronaldo contrata 'advogado das celebridades', especialista em casos de abuso sexual, para defender a sua reputação! A linha da defesa não deve fugir ao esquema habitual - como se trata do melhor jogador do mundo, herói nacional e grande goleador, só pode estar inocente.

Benfica, acusado de corrupção, contrata os melhores advogados portugueses para defender a sua reputação! Aqui vale o célebre ditado - os homens passam e as instituições ficam! Nesse sentido as pessoas colectivas são inimputáveis e transformam-se em locais privilegiados para a prática de toda a espécie de ilícitos. Bem visto!  

Entretanto continuamos a aguardar pelos desenvolvimentos do processo Marquês onde vão acusados de corrupção, entre outros crimes, um ex-primeiro ministro e uma série de individualidades muitas delas medalhadas por altos serviços prestados à república!

E finalmente temos o 'caso de Tancos' que abala a reputação de qualquer um!


Saudações monárquicas


Nota: Face aos acontecimentos acima relatados creio que a bandeira da Carbonária, organização terrorista que levou o partido republicano ao poder, se enquadra melhor, quer na data quer no estilo. Vejam isto como uma homenagem. E é tão parecida com a actual...

terça-feira, outubro 02, 2018

A dialéctica


É possível que estejamos no limiar de uma nova era, uma era que irá desmentir todas as palavras de ordem que nos azucrinam os ouvidos! Não descobri isto hoje, estou a guiar-me pela dialéctica. Assim e usando este conhecido método de análise histórica o mundo será exactamente o contrário do que alguns (e algumas) proclamam. Por mais barulho que façam.

Será também mais misógino do que é. Misógino no sentido do isolamento, da solidão, e esse é um dado dos tempos modernos. E para quem sonhe ter uma carreira política, o mais avisado, sabendo o que sabemos hoje, é evitar quaisquer contactos com o sexo oposto, pois chegará o dia em que será denunciado por algum abuso.

E por falar em sexo, temo que a sua prática, erigida em dogma libertário, ginástica rítmica ou acontecimento primaveril, venha no futuro a ser oficialmente vigiado, a pagar imposto ou alguma coima. Por mau uso. O abuso é na secção acima.

Um exemplo. Quando lemos a palavra de ordem – 'ele não' – o mais certo é  Bolsonaro ser eleito presidente do Brasil. E se não for agora, será apenas um adiamento do inevitável. As acusações que pendem sobre o candidato são as habituais: misógino, machista, fascista, etc.   


Saudações monárquicas

(Com a devida vénia, fotografia retirada do artigo de Helena Matos no Observador - A liga das mulheres extraordinárias)

quinta-feira, setembro 27, 2018

A família


A gente esforça a imaginação, aguça a memória, reinventa-se, mas no fim do dia a realidade impõe-se. A república é uma cópia em ponto pequeno dos antigos regimes do leste europeu, onde pontificava o centralismo democrático. Há eleições, há partidos, mas não há verdadeira oposição. A alternância cozinha-se dentro de casa, dentro da loja, ou nos camarotes da bola! É assim que temos um governo familiar, uma assembleia familiar e uma justiça que defende sobretudo a família, em sentido peculiar.
Mas não éramos inteiramente felizes! Uma procuradora determinada e à revelia dos 'superiores interesses da nação' insistia em investigar a família! Em causa, imagine-se, um ex-amigo do actual primeiro ministro e um ainda amigo do actual presidente da república. Já para não falar do clube dos seis milhões. É demais, não pode ser. Não houve outro remédio senão substituí-la.


Saudações monárquicas

sábado, setembro 22, 2018

Sem oposição... o circulo fechou-se!

A república de Abril (1974) ou terceira república, para ser mais exacto, entrou na fase pura e dura da união nacional. Não há oposição, a constituição está muito bem como está e a justiça está controlada.

Sobre não haver oposição ninguém tem dúvidas sobre isso. Para além das greves dos funcionários públicos, que querem naturalmente ser aumentados, ou de uma ou outra paralisação dos táxis, que querem naturalmente ser nacionalizados, (quem é que não quer?!), pode dizer-se que reina a paz celestial. A não ser, o que eu duvido, que o novo partido de direita seja mesmo um partido e seja mesmo de direita.

Sobre a bondade e eternidade da constituição também ninguém tem dúvidas! Pois se foi à sombra dela que a actual oligarquia conquistou o poder e dele tira proveito, para quê mudar de sombrinha?!

Finalmente sobre a justiça pouco há a acrescentar. Foi sempre controlada pelas forças ocultas do regime salvo durante um pequeno período que agora termina. A bem da nação.


Saudações monárquicas